"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
Textos


Forças as palavras a exprimir
mas sua alma está calma
está plácida

Forças os fonemas a
sair de sua garganta
seca
as sílabas se atiram no
abismo das horas

E giram loucas
e compõem frases,
parágrafos,
romances.

Snipers são justiceiros.
Bandidos são heróis ocasionais.
Ninjas são explícitos
em sua arte mortal.

Compassada e com visgo natural.

Forças as palavras a confessar
aquilo que sua face disfarça.
Cometes gafes.
Erros catatônicos.
Tropeças sobre a sintaxe.
E num ballet esquisito.

E numa pantomima
exclusiva entre mãos e tiranos.
Elas revelam eles.
Eles revelam elas.

Mas eu nada revelo
Eu supero.

Eu, como títere.
Não sou Pinochio.
Não sou Gepeto.
Sou o afeto que fez do boneco
um filho.
E, do acaso que fez o drama.

Amar tudo.
Amar a todos.
De olhos fechados
e corações abertos.
Amar furtivamente
Na calada da noite.
No berço da madrugada.

Amar e desamar
Num ciclo paradoxo
e constante.

Forças a palavra,
a porta de entrada,
a tramela está posta.
A verdade está atravessada
atrás de tudo.

Por vezes, imperceptível.
Por vezes, casual e imprudente.
Como a vontade de superar-te.
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 16/09/2017
Alterado em 17/09/2017

Música: Chuva na floresta - Desconhecido

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr