"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
professora Gisele Leite
Diálogos jurídicos & poéticos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


 Dentro da mitologia nórdica, Loki representa um deus ou um jotun, ou seja, gigantes que se opunham aos deus, era filho Farbanti e Laufey, irmão de Helblindi e Byleistr. É considerado o deus do fogo, datrapaça e da travessura. Igualmente é também relacionado à magia, podendo assumir a forma que bem quiser. Loki não integra o clã de deus que residem em Asgard, apesar de viver por ali. Geralmente é traduzido como grande símbolo da maldade e da trapaça, e, apesar de todas suas artimanhas que frequentemente causem problemas a curto prazo aos deuses, estes comumente se beneficiam com estas ao final. É, sem dúvida, uma das figuras mais intrigante e complexas das mitologia nórdica.
Afirmo que vivemos na Era de Loki pois precisamos dominar o conhecimento em estratégia, sempre utilizando suas habilidades para interesses próprios, mesmo que engendrando intrigas e mentiras. Loki por ser um mestiço entre um deus e um gigante, a sua relação com os demais deuses é bem conturbada. E, vivemos conturbações frequentes tanto no seio familiar como no social. E, segundo as lendas mitológicas, Loki liderará um vasto exército durante os eventos de Ragnarok. É um deus respeitado por Thor, tendo ajuda-o a recuperar o seu martelo mágico chamado Mjölnr, que fora roubado pelos gigantes.
Além, de recuperar o martelo, Loki conseguiu obter alguns artefatos relevantes para os deuses, tais como a lança de Odin, Gungnir, os cabelos de ouro de Sif e i navio mágico de Freyr, chamado de Skidbladnir. As atitudes de Loki mostram, na maioria das vezes, seu lado maléfico e degenerado, mas em geral está a buscar algo de bom, apesar de contrariar seus objetivos originais.
No fundo, Loki não é considerado um deus perigoso. E, os outros deuses sempre fazem uso de sua criatividade e inteligência quando estão enfrentando problemas potencialmetne difícieis, sem solução ou espearnça. Estudiosos afirma que a visão de que Loki seria um deus demoníaco e destrutivo é somente da perspectiva cristão. Pois afinal, Loki acaba por se tornar um grande aliado dos deuses.
A simbologia crucial de Loki é ser o caos necessário para efetiva busca do progresso. Na Idade Moderna, o conceito de Loki variou bastante e, muitas vezes, foi encarado como figura horrenda e, por vezes, até como um tipo de Prometeu nórdico. 
No fundo, todos nós somos punidos por termos furtado a luz dos deuses para iluminar a pobre humanidade. Já na era sem tempo, reconhecermos o régio preço da lucidez e racionalidade.

P.S.: Interessante anotar que Loki não tem chifres. Talvez por ter a imagem de mau, inimigo e rival o que trouxe a denotação de chifres. Outro movito seria porque a dominação dos vikings tinham fama de selvagens, sem escrúpulos, considerados destruidores e assassinos.
E, nos fins do século VIII invadiram muitas terras para sua dominação, o que incluiu a destruição de monastérios e os monges que já tinham inserido o catolicismo naquelas terras, os denominavam de demônios. E, os deuses bárbaros não poderiam fugir à regra, assim eram representados com chifres
GiseleLeite
Enviado por GiseleLeite em 20/01/2020
Alterado em 20/01/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários