"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
professora Gisele Leite
Diálogos jurídicos & poéticos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Não havia luz. A escuridão era profunda, nem o próprio nariz eu enxergava. NEM SOMBRA e nem sobras havia... Além da escuridão havia um silêncio tão duro que era possível cortá-lo à faca. Meus pensamentos sombrios reverberavam naqueles olhos ciganos que procuravam ver, ou adivinhar o impossível. Tratei de procurar um lugar mais iluminado. As ideias fugidias procuravam um canto para se alojarem. Diante das imagens externas e alheias, nossos próprios contornos não importavam tanto. Afinal no clã, caçamos pontos de identidade, coincidências, ângulos convexos e côncavos para nos irmanar numa competição surda e invisível. O mais belo vestido, o mais caro sapato, ou talvez, a mente mais sedutora e brilhante, capaz de fazer das verdades, meras versões e, de versões sórdidos boatos. Tudo era extremamente relativo. O certo ou o errado. O reto ou torto, todos eram muito similares na natureza errática da humanidade. Tama Savata. A besta que há em mim, saúda a besta que há em você.  Apesar de sermos animais precisamos cultuar o espírito. E o espírito precisa de luz para enxergar o infinito e a necessidade de evolução.
GiseleLeite
Enviado por GiseleLeite em 11/10/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários