× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
professora Gisele Leite
Diálogos jurídicos & poéticos
Textos
Você está condenado a sentir culpa
Sentir remorso
e ter medo.
Você está condenado a perecer 
enquanto tempo passa.
O hoje logo será vaga lembrança.
O amanhã será um breve instante.
E, de repente, todas as recordações
parecem um filme sem fim.
Tal qual "E o vento levou..."

Sua consciência lhe sussurará
mantras, preces e principalmente conselhos.
 - Não vá por ali.
- Não aceite favores.
 Não sorria.

Sigo então meu caminho sisuda.
Séria... a pular amarelinha e  a
cair no céu imaginário.

Você está condenado a ver e a enxergar.
Enxergar dentro das pessoas.
Ler livros e almas.
Decifrar sentimentos e ressentimentos.
E, com calma e parcimônia.

Ponderar sem julgar.
Nunca vesti seus sapatos.
Nunca andei por seus passos
e nem senti exatamente o ser
que habita em seu âmago.

Qual é a dor e a delícia de ser
quem você é?

Como poderei julgar?
Se errou?
Se acertou?
Se titubeou e, ainda, assim pecou.

Pecou como reles mortal.
Pecou como Prometeu que deu o fogo aos homens.
Pecou a Sibila de Cumas que pediu a imortalidade
mas se esqueceu de pedir a eterna juventude.

E, assim, se tornou tão consumida pela
idade que ao final,
desejava avidamente a morte.

O fogo destruiu os Livros Sibilinos
e, por duas vezes
não conseguimos saber de seus mistérios.

Você está condenado a viver
os paradoxos,
as metamorfoses
e, sobretudo, o milagre diário da vida.

Até que um dia, chega o fim.
E a eternidade se principia com tudo
que você deixou para atrás.
São sementes aleatórias que 
profeticamente germinarão.
GiseleLeite
Enviado por GiseleLeite em 22/05/2019
Alterado em 15/08/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários