professora Gisele Leite
Diálogos jurídicos & poéticos
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).


Capitu é a personagem mais debatida e a mais famosa de Machado de Assis. Aliás, na obra "Dom Casmurro", o leitor fica atormentado pela dúvida se existiu ou não o adultério da mulher de Bento Santiago. O tema da culpa ou inocência da mulher é a fonte de todo tormento. E os vestígios não deixavam NEM SOMBRA. A propósito, em Direito Penal, não se pode condenar o acusado sem provas. Apesar de Capitu exibir sempre aqueles olhos de cigana oblíqua e dissimulada ou então, os olhos DE RESSACA que pareciam traduzir ou perfídia ou uma tristeza mórbida bem peculiar às mulheres do século XIX. Atualmente o crime de adultério antes capitulado no artigo 240 do Código Penal foi revogado em 2005, através da Lei 11.106. Já em Portugal o referido crime fora revogado em 1973. Machado de Assis construiu narrativa ambígua e o marido de Capitu era um ex-seminarista e advogado. O final veredicto do leitor se desenvolve na mesma medida que condena, pois afinal, Capitu era mais mulher do que era homem Bentinho. Lygia Fagundes Telles chegou a publicar artigo onde defendeu a culpa de capitu, mas em 2009 finalmente percebeu que era inocente. A obra machadiana já sofreu inúmeras adaptações tanto para cinema como para o teatro mas os detalhes laboriosos sobre a natureza humana e da sociedade daquela época, por vezes, escaparam aos adaptadores que mais fizeram uma caricatura do que uma síntese do romance realista.
GiseleLeite
Enviado por GiseleLeite em 09/10/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários