professora Gisele Leite
Diálogos jurídicos & poéticos
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).


Era uma vez a menina que cresceu virou mulher, teve seus filhos... seguiu a vida. Encontrou incertezas, silêncios e paradoxos. E, certo dia, perguntaram-lhe diretamente, tal qual uma seta que atravessa o peito: O que lhe faz feliz? Engolira a seco. Resmungou alguns fonemas, depois balbuceou timidamente: - Talvez.
Talvez eu fosse feliz, se pudesse crer em tudo que meus olhos enxergam..., nas boas intenções que se apresentam... nos olhares ingênuos e nas bocas semi-cerradas que se fecham em total pavor diante de tanta bizarrice e crueldade. Há a indiferença contundente de muitos. Há as paredes, os corredores, os bastidores e principalmente, verdades sussurantes que navegam no estreito do destino. Talvez eu fosse feliz, se não tivesse que aprender sempre. Que tivesse prosseguir em direção ao aperfeiçoamento. A uma fórmula de sobrevivência sempre renovada e desafiante. Uma doença fatal que encontra cura. Um afeto perdido que se substitui por outro... Uma conexão que se refaz através de outra, e, vamos construindo pontes e links até que o infinito nos abriga para morarmos na eternidade inscrita numa lápide.
GiseleLeite
Enviado por GiseleLeite em 30/07/2019
Alterado em 30/07/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários