"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).

professora Gisele Leite

Diálogos jurídicos & poéticos

Textos


 
De repente, tudo fazia sentido. Tudo era perfeitamente compreensível. Encaixava-se dialeticamente. Semanticamente. Como se fossem legos. O contexto, o céu e o eclipse.
Tudo eram tão justificável...exacerbadamente lógico e frugal. Que todos meus questionamentos pareciam ser burlescos e até dispensáveis...
A liberdade e o individualismo, a ditadura estética e amoral. O prazer acima da honra. A nudez prevalente sobre o espírito. E as cores, os odores e as sensações se esvaiam em sentidos imediatos. Em, indeclináveis tendências. De repente, o silêncio fazia um discurso contundente.
Daria para cortá-lo com uma navalha cega. Sem precisar fazer muita força. De repente, a curva se fez reta. O flash se fez filme. A narrativa de tão completa ficou melodramática. E, a tragédia já se esgueirava pela comedicidade.
Como somos terrivelmente engraçados e ingênuos. Somos patéticos. Como nossas dores são prosaicas e nossos queixumes representam piadas paradoxais.  
Assim, nos tropeços aprendemos sobre o relevo do caminho. Nos erros e falhas aprendemos como acertar e se aperfeiçoar. Nos enganos aprendemos o valor da verdade e da sinceridade. É como entronassemos na epifania. Onde o sagrado é profano e, o profano é sagrado, pois é humano a matéria-prima. 
O deus que há em mim, saúda o deus que há em você. 
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 22/01/2019
Alterado em 22/01/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
iDcionário Aulete