"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
Textos


Morre a pétala
que cai flanando
no chão de uma primavera.

Morre o inverno lentamente
E o calor avança
derretendo consciências e
esculpindo dores.

Morre a folha
em pleno outono
que ao cair cumpre o mosaico
do chão.
onde os passos são regidos
por pegadas e sons.

Que venha o sol do verão
a queimar nossos rostos.
A torrar nossas siluetas
que marcadas resistem a
intempérie.

Procuro sombras,
ventos, água fresca e
alívios imediatos.
Prazeres rápidos.
Flashes de emoções
instantâneas...
 
Tudo é descartável
Não se consertam mais coisas.
Nem se restauram cenários
e histórias.

Saudade é piegas.
Suspiros devem ser asma.
E, sonhos, são caravelas
naufragadas em devaneio.
 
Perdi a chave da gaveta.
Perdi a chave da porta.
Não decifro palavras, frases
ou sentimentos.
Não leio almas, espíritos ou
subjetividades.

Tudo é positivamente incerto.
Absolutamente paradoxal.
Há enigmas tramados pelo tempo.
Há segredos encerrados em silêncios.
 
E, na gangorra pendular do tempo.
Ora descemos, ora subimos.
Sem galgar o êxtase.
 
Quando finalmente deciframos
o real sentido da vida.
É tarde...
devemos conhecer a morte.
Nos acostumar com o fim.
E, rezar para que tudo não tenha
sido em vão...
Que no vão, caiba todo 
nosso pobre significado.
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 24/01/2018
Alterado em 24/01/2018

Música: 12 Christoph Willibald Gluck- Orphee Et Eurydice (French Version), Opera In 3 Acts, Wq. 41 (Act 3 \'J\'ai Perdu Mon Eurydice\' [Orphee]) - Susan Graham - Gluck

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr