"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
Textos


Etéreo.
Éter.
Elevado ao píncaro espiritual
de leveza cândida
quase divina.

És a quinta-essência
Esse abstrato hipotético que
habita meus pensamentos.

Que me tortura
e me atrai
como um imã.

Lá vem o etésio
a soprar-me o verão.
Traz o cheiro d'áfrica.
E a jogar-me em sua teia.

Das tribos e dos atabaques
E as lendas dos orixás
que explicam sentimentos humanos,
mistérios da natureza
e sobre
umbrais vencidos,
ultrapassados
e tatuados na história
da humanidade.

Na etiologia de todos
uma origem em comum,
crenças comuns,
conflitos banais
decorrentes da fome,
da falta de afeto,
da luta por sobrevivência.
Da existência a procura
de alguma essência.

Somos de todas etnias,
de cores diferentes,
de línguas diferentes,
de dialetos diversos,
culturas diversas
que se entrecruzam.

E na encruzilhada,
novamente,
o que há em comum...
as dores,
as flores
e os sentimentos.

Palavras.
Rituais
Convencimentos.

Se não se igualam em vida,
se equiparam na morte.
Sob a mesma lápide fria,
a indicar em letras
o nome, a família
e a fatídica data.

Unidos pelo acaso
Unidos pelo destino

Pelos devaneios
Pelos ventos alísios
A escovar os morros,
A espalhar folhas
e dispersar a natureza
que vive latente entre nós.
A esperança que respira o
etéreo.
 
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 22/12/2017

Música: Berceuse in D-Flat, Op. 57 - Daniel Barenboim

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr