"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
Textos


Não somos culpados
Há uma sentença 
escrita na sequência genética.

Há um provimento
determinado,
atávico.
Inescapável

Não adianta correr.
Esquecer,
apagar ou
desmaiar

Mais tarde, ao acordar
tudo estará escrito.
Maktub

Não somos culpados
Há conspiração do tempo com a vida
A história aliada a genética.
E, essa consciência circunspecta
A imaginar o todo, 
pela visão do elétron.

A enxergar a matéria 
na poeira.

Choque contundente
entre 
a realidade imaginada
a realidade existente

O raio cortando as nuvens
O silêncio entre as palavras

A semântica semeando
significados..
O lirismo colhendo frutos
bastardos

A reza hipnótica dos xamãs
O kharma inevitável.

A encarnação do espírito
num corpo improvável,
perecível,
transitório.

Pois essencial é imaterial
É um perfume.
É um toque indelével

É um enigma
decifrado na bruxaria
nos pontos riscados,
nas rasuras do script.

Em diálogos impossíveis.
O perdão não ofertado.
A lágrima não vertida.


Em oferenda.
Peço-lhe água
E lhe digo benta
a incerteza.

A roleta que gira
em torno de todo 
jogo do poder.

Números.
Cores.
Significados apostam
na direção do infinito.

Não há xeque-mate.
Apenas, um
breve intervalo
entre a percepção do átomo.
E a epifania da molécula.

 
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 06/09/2017
Alterado em 21/11/2017

Música: Bolero Ravel 1 - Desconhecido

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr