"O conhecimento é o mais potente dos afetos: somente ele é capaz de induzir o ser humano a modificar sua realidade." Friedrich Nietzsche (1844?1900).
Textos


Surrealismo

Silêncios microbióticos
corroem textos,
as vírgulas temem os parágrafos,
as rimas temem o apocalipse
do ponto final.

Todos unanimamente adoram
as reticências...
não diz, insinua
não proclama, seduz,
conduz, e até, fatidicamente se
dispersar nas primaveras
mais sombrias
ou nos invernos mais
ensolarados.

A pausa intercalada de som
ainda é música.
A pausa intercalada de palavras
ainda é discurso.
A pausa interposta na vida...
é repouso, quarentena
ou morte

O suicídio das expressões
A agonia dos sentimentos
Os devaneios miméticos
disfarçados de reflexão poética.

Silêncios dietéticos.
Eliminam calorias.
Eliminam gorduras.
Eliminam o prazer
de comer ou falar.

Pois tudo já estava escrito.
Pois tudo já estava previsto.
Pois tudo nasceu do nada,
e, foi evoluindo até
o alvorecer informar
sobre o novo dia,
sobre novo escrito,
sobre novo que é velho
e se renova.

O silêncio do poeta
é rima sincopada.
O silêncio do príncipe
é mesura nobilástica
O silêncio do plebeu
é agonia, fome
ou suástica.

São olhos desatentos.
São nós que não atam.
São mãos que não constroem.
São inércias banhadas pelo tempo
num infinito metabólico
a corroer as vísceras.

Denúncias acusam
banalidades.
Banalidades continuam
as tragédias diárias
Sem sentidos...

A tontura guia os passos
mediúnicos
em direção ao abismo.

O abismo da criação
O fosso profundo da reflexão.
Os escritos imantados em rezas,
rituais e mantras.

Exorcismos...
Diabretes se libertam para a revolução.
Transgrediem hierarquias
e de sopetão...
transformam silêncio
em dialeto inteligente.

O surrealismo
enreda os paradoxos
para se conciliarem
com a poesia.
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 11/07/2017
Alterado em 11/07/2017

Música: Tango albeniz 1 - 1

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr